Ataque terrorista com caminhão no sul da França deixa ao menos 73 mortos e 100 feridos


​Um ataque com um caminhão na cidade de Nice, no sul da França, deixou dezenas de mortos e feridos nesta quinta-feira (14), quando a multidão comemorava o feriado da Tomada da Bastilha, maior festa nacional. Segundo a Procuradoria francesa, citada pela imprensa do país, pelo menos 73 pessoas morreram. Autoridades falam ainda que há mais de cem feridos, dezenas em estado grave. O incidente está sendo tratado como atentado terrorista.

Um caminhão atropelou as pessoas que enchiam uma avenida à beira-mar durante a queima de fogos do dia 14 de julho. Segundo testemunhas, após o veículo avançar contra a multidão, seus passageiros abriram fogo e trocaram tiros com forças policiais.

Ainda não se sabe quantas pessoas teriam participado do ataque. Segundo o Ministério do Interior, o motorista foi morto a tiros. De acordo com o canal de TV francês BFM TV, o motorista do caminhão teria percorrido 2 quilômetros atropelando pessoas.

Nenhum grupo terrorista assumiu até o momento a autoria do ataque.


O governo confirma que não foram feitos reféns. A imprensa diz que um suspeito estaria foragido.

O Itamaraty disse que até o momento não há informações sobre vítimas brasileiras no ataque.

Nas redes sociais, o prefeito Estrosi ainda pediu que a população permanecesse em suas casas.

O presidente francês, François Hollande, estava em Avignon e seguiu para Paris, onde realizará uma reunião de emergência com seu gabinete.

Dezenas de corpos


Imagens publicadas nas redes sociais mostraram diversas pessoas no chão após o atropelamento, e um caminhão atingido por vários disparos. Outros vídeos mostram a multidão correndo pelas ruas de Nice para buscar refúgio.

Testemunhas relataram à Associated Press ter visto o motorista armado. "Foi uma carnificina. Corpos por todo lado".

Taxistas da cidade ajudaram gratuitamente a retirar as pessoas que estavam na área do ataque.

País alvo de ataques

O atentado se junta a outros dois grandes ataques ocorridos na França, na capital Paris, nos últimos meses: o ataque à redação do jornal "Charlie Hebdo" em 7 de janeiro de 2015, que deixou 12 mortos, e os atentados coordenados de 13 de novembro do ano passado, onde 130 pessoas morreram.

O primeiro foi cometido por dois irmãos ligados à Al-Qaeda e o segundo, realizado em localidades diferentes –como a casa de shows Bataclan e os arredores do estádio Saint-Denis–, foi organizado pelo Estado Islâmico.

(Com agências internacionais)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s