‘Casas da Transposição’ não aguentam chuvas e alagam, na PB; Ministério explica

​Moradores temem perder imóveis e eletrodomésticos


Há cerca de um mês, moradores de um sítio próximo às obras da transposição do Rio São Francisco na Zona Rural de Cajazeiras (Sertão do estado, a 468 km de João Pessoa) foram retirados de suas casas devido ao avanço das atividades do projeto hídrico. As famílias foram alojadas na Vila Produtiva Rural Bartolomeu, também na Zona Rural do município, mas os imóveis disponibilizados não tem sido nem um pouco satisfatórios.

Com as chuvas que atingiram a região nos últimos dias, as casas ficaram completamente alagadas. Imagens feitas por moradores mostram que o acúmulo de água acontece tanto na área externa, quanto dentro dos imóveis. O problema tem feito as famílias enfrentarem transtornos diários.

Segundo os moradores, as casas Vila Produtiva Rural Bartolomeu foi entregue há pouco mais de um mês e logo nos primeiros dias problemas foram identificados. Os moradores também relatam que procuraram as empresas responsáveis pela construção das casas e solicitaram correções para o problema, mas as reivindicações não foram atendidas.

O Portal Correio fez contato com as construtoras Coinpe e CPL, ambas com sedes na Bahia, que, em consórcio, foram responsáveis pelas obras na Vila Produtiva. O diretor da Coinpe, Marcos Pires, apontado como única pessoa habilitada a tratar do assunto não foi localizado. Na CPL, um funcionário da gerência administrativa disse que a empresa já foi comunicada sobre os problemas. Ele garantiu que equipes serão enviadas para realizar correções nas casas, mas não soube informar prazos. Mais uma vez, o profissional responsável pelo caso não estava na empresa.

À reportagem, o Ministério da Integração Nacional disse que a empresa responsável pela construção da Vila Produtiva Rural (VPR) Bartolomeu, em Cajazeiras, já iniciou os serviços de reparo na residência atingida pelas fortes chuvas. Segundo o Ministério, a conclusão destes serviços está prevista para o este sábado (2). O Ministério informou ainda que deverão ser feitas melhorias nas áreas externas da vila, com conclusão prevista para 7 de abril.

"Os técnicos do Ministério da Integração Nacional e da empresa construtora das VPRs do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF) analisaram os motivos do alagamento da residência e apontaram soluções rapidamente para evitar transtornos para a família beneficiária", diz a nota do Ministério da Integração enviada ao Portal Correio.

O Ministério da Integração explicou que as casas das 18 VPRs do PISF foram construídas com base em projetos que respeitam os conceitos normativos das boas práticas da engenharia civil brasileira, mas não suportaram as chuvas

"Contudo, as fortes chuvas que caíram em Cajazeiras (PB) ocorreram acima das precipitações históricas do município, o que acarretou em outros alagamentos no município", finaliza o texto.

Portal Correio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s